Tour dos Gigantes Verdes

Antes de existir a VERDE, já por Lousada se conheciam algumas das Gigantes Verdes em pequenos passeios para as visitar. O Tour de Gigantes Verdes permite levar todos os interessados a conhecer estas árvores, mas também o habitat que as rodeia. Em Julho voltámos a conhecer algumas delas, com um dia de passeios até Barrosas.



Com sessão marcada entre as 9h30 e as 12h30, houve mais de 60 inscrições neste passeio num dia extremamente quente e que só tinha vaga para 30 participantes. Definiu-se a possibilidade de fazer uma segunda sessão, durante a tarde, e os participantes assim alinharam. O destino foi o monte dos Maragotos, em Barrosas, onde diversos sobreiros gigantes se escondem e que, para lá chegar, é necessário nos cruzarmos com vários gigantes famosos entre os biólogos de Lousada.

 
 

Falamos do carvalho de Barrosas e do Carvalho do Baloiço, dois exemplares únicos no concelho, quer pelo seu porte mas também pelo seu valor ecológico. O Carvalho de Barrosas, com mais de 4 metros de perímetro de tronco, apaixonou logo todos os que se cruzaram com ele. Com as suas bifurcações extremamente baixas, faz lembrar uma garra que se estende para o céu. Deduzimos que este formato foi criado através da gestão que a árvore foi sofrendo, em género de talhadia, e que faz até lembrar alguns castanheiros do nordeste transmontano. Conheça-o nas fotos seguintes:

 
 

Já o Carvalho do Baloiço, é não só um autêntico oásis de biodiversidade, sendo casa de vacas-louras (ou cornélias), lesmas-do-gerês, coruja do mato, pica-paus, vespão-europeu, e tantas outras espécies, como também uma daquelas árvores que facilmente criamos uma relação, mais fácil ainda se nos divertirmos no seu baloiço rústico. Aqui podemos perceber tão bem como a biodiversidade se liga ao nosso bem-estar e que, se bem tratadas, todas estas gigantes podem ser monumentos únicos.

 
 

Já no topo dos Maragotos podemos encontrar sobreiros únicos que dão sombra a quem se cruza com eles e, mesmo não parecendo, certamente com mais de 100 anos. Estamos num habitat mais inóspito do que o que normalmente encontramos por Lousada. Com matos, pedras e consequentemente com uma flora e fauna particular. Aqui há ainda um fenómeno geológico raro e difícil de encontrar. Falaremos melhor dele numa próxima.

 
 

Voltamos posteriormente ao ponto inicial, não sem antes ir conhecer o monumental carvalho de Ledesma. Pelas 16h lá estávamos de volta na Igreja de S. Estevão para acolher o segundo grupo e repetir toda esta experiência. Em breve há mais tours, e contamos consigo para nos acompanhar à descoberta destas árvores peculiares de Lousada.






8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo